sexta-feira, dezembro 26, 2008

Soalheiro Alvarinho 2007


Antes de rodar para outros lados e abandonar por momentos o vicio da prova (assenta como uma luva naquilo que faço: corromper, adulterar, falsificar) e da estúpida necessidade de escrever, largo aqui, provavelmente, os últimos comentários de 2007. Fica registado para a memória futura deste blog mais um aglomerado de palavras.
Soalheiro Alvarinho 2007. A cor que passava pelo vidro era cristalina. O aspecto induzia os sentidos. O copo estremecia molhado. Por fora escorria. Dava a ideia que tinha sido tocado pelo orvalho. Vibrante, nervoso. Cheio de nuances esverdeadas.
Os aromas eram bonitos, pautados pela finura e equilíbrio. Era fresco, demasiado fresco. A lareira pedia por algo assim. Muito vegetal, mais herbáceo. Erva, relva, espargo e folha de loureiro. O mineral era, aqui, muito forte. Sobressaíam imagens da ribeira, de pedra molhada, de seixo, de calhau rolado. Humidade elevada. Completou-se com maçã verde (bem ácida), pêra, limão, lima e um pouco de laranja, (que ganhou preponderância quando o mercúrio do termómetro subiu). Era, sem dúvida, uma trupe de cheiros bem vestida.
Sabores afinados e leves. Revelaram um comportamento que combinava o vegetal com o mineral. Espargos verdes surgiram temperados pela lima, pelo limão. Levemente adocicados pela laranja. Sentia-se, mais uma vez, aquele toque orvalhado. Tudo tão limpo e tão simples. O final exemplificava o quanto é desnecessário o uso da força (para deixar boas recordações).
Um alvarinho moderno e sofisticado. Por 8€, acredito piamente que seja uma boa proposta. Desta vez alinho pela maioria. Nota Pessoal: 17

Post Scriptum: Reunião de pessoas ociosas a falar na vida alheia, habitualmente sentadas ao Sol. É o que faço, quase todos os dias, na rede. Falar de pedaços da vida de quem vive do vinho.

2 comentários:

João Filipe Clemente disse...

Meu amigo, sou um apaixonado pela uva Alvarinho e, em especial pelo Soalheiro. Se não custasse por aqui cerca de três vezes esse preço, certamente andaria bem mais vezes sobre a minha mesa e na minha taça! Me delicei com tua descrição deste 2007 e, espero poder passar por aí em 2009 para ver os amigos, familia e me abastecer deste e de outros bons vinhos a preços civilizados. Salute, abraço e um belo 2009!

Pingus Vinicus disse...

João, apenas duas vezes mais e já comprávamos o Primeiras Vinhas.
Cá te espero para bebermos uns valentes tragos.

Um abraço e bom ano de 2009 para ti também.