sábado, janeiro 17, 2009

Dona Matilde (Douro) Branco 2007

Pareceu-me ser um branco bem trabalhado, com boa exuberância aromática. A fruta surgia bem misturada com o vegetal (que lhe dava carácter e frescura). Tudo redondo, apelativo e consensual. Falemos, se possível, mais um pouco sobre o vinho.
Ao primeiro choque entre mim e ele confrontei-me com cheiros de espargo, de folha de tomate e figueira. Já agora, e antes de avançar, começa a ser tradicional este aglomerado de sensações em muitos vinhos do Douro. Apresentam uma (forte) componente vegetal que, em alguns momentos, sugere a casta sauvignon blanc. Provavelmente, comparação grosseira.
Pontuais sugestões minerais permitiram enfiar as narinas para o meio do calhau rolado.
A fruta passeava por entre aromas de pêra, maçã, lima e limão. Aqui e além afiguravam-se pequenas fendas por onde espreitava a manga. Suculenta.
Os sabores tinham amplitude razoável, com bom grau de frescor. O vegetal marcava, mais uma vez, presença assídua e combinava (bem) com a fruta. Coerente e homogéneo. O final foi deixando pelo caminho marcas de lima e limão.
Um vinho do Douro que vale a pena conhecer e beber, se possível, até à última gota. Vale pelo equilíbrio, pela limpeza que transmite e pela gulodice que possui. O que interessa mais? Nota Pessoal: 15,5

Post Scriptum: As castas são: Arinto, Viosinho, Rabigato e Verdelho. O rótulo tem qualquer coisa de Novo Mundo, não acham?

5 comentários:

Manuel Almeida disse...

Começo por lhe enviar os meus parabéns pelo blog e pelos excelentes comentários que faz (independentemente de se concordar ou não com a sua apreciação). Não sendo um grande conhecedor também eu "perco/ganho" algum do meu tempo nos corredores das secções de vinho das grandes superfícies e de garrafeiras à procura de uma sugestão e/ou de propostas que desconheço. A última aquisição foram algumas garrafas AnimaL5 e Colinas de S. Lourenço Private Selection. Sendo algarvio é com agrado que vejo surgir, na nossa região, propostas muito interessantes que, no entanto, vão passando despercebidas no resto do pais.
Fazendo votos de continuação de bom trabalho (neste caso de boas provas) avanço com a seguinte sugestão:
não é possível acrescentar o preço dos vinhos? Eu sei que o mesmo varia em função do local onde é adquirido mas de qualquer forma seria sempre uma indicação preciosa.

Cumprimentos,
Manuel Almeida

Pingus Vinicus disse...

Caro Manuel Almeida, fico grato pelos seus comentários. Sempre que posso eu incluo os preços dos vinhos, mas acredite que tento evitar ao máximo dado que em muitos casos eles são tão díspares.

Cumprimentos

Presidente disse...

Olá pingus, gostava de comprar umas garrafitas deste vinho. Onde as posso encontrar?

um abraço

Pingus Vinicus disse...

Presidente, tenta a Garrafeira Nacional

Um abraço

Presidente disse...

OBG