sábado, abril 21, 2012

Encruzado da Fata

Fim de semana. Dias sem fato macaco, sem chave de fendas. Dias de lassidão, de enorme frouxidão. Os mecanismos cerebrais, que sustentam esta personagem, encontram-se em stand by. São, ainda, dias de desregro.


Bebe-se mais e no meio das garrafas que se abrem há sempre uma que impressiona. Uma que, por um motivo ou por outro, faz pegar no copo de modo incessante até expirar a última gota. Ainda se espreita pelo gargalo, tal binóculo, em busca de qualquer réstia que pudesse ter ficado esquecida. Houvesse mais.

2 comentários:

RODRIGO FREITAS disse...

PINGUS TENHO QUE ADMITIR QUE CONSEGUE SURPREENDER COM A SUA ESCRITA. É UMA FORMA DIFERENTE DE FALAR SOBRE VINHOS. COTINUE

Pingus Vinicus disse...

Rodrigo, olhe que não, olhe que não. :)