sábado, maio 04, 2013

Emoções

Pensei, e ainda penso, no que deveria escrever para acompanhar com dignidade as ilustrações que escolhi para este post. Procurei, e ainda procuro, palavras que façam jus ao vinho. Que sejam o puro reflexo, um mero prolongamento dele. 



E por muito que rode com o copo, rodopie o líquido, pense e vasculhe, as palavras soam literalmente a vazio, a qualquer coisa sem sentido. Está-se, estou, literalmente preso. Preso por que sim, preso por que se está apaixonado por ele. Olhamos, miramos e pensamos. Pensamos no quê? Que o vinho, este mesmo, eventualmente não quererá, nem precisará de grandes enunciados. Por isso, por que complicamos? Por que adulteramos? 



E por que não consegui, por que não fui capaz, por que estou demasiado envolvido com ele, pois viu-o nascer, gatinhar, caminhar e tomar o seu rumo, restou-me simplesmente adorá-lo, só mais uma vez. Só mais uma única vez. Até um dia!


3 comentários:

Anónimo disse...

Olá pingas. Vou seguir esta sugestão para amanhã ( meu dia de folga). Só penso comer, beber um bom copo de vinho ficar plantada à frente da TV. Ler revistas que não interessam e ver filmes balelas. Obrigado pingas. Como sempre é um prazer estar contigo. Alda

Flavio Henrique disse...

Mais uma postagem muito agradável de se ler!
Abraços,
Flavio

Pingus Vinicus disse...

Estimados amigos, obrigado pelas vossas palavras.