terça-feira, agosto 27, 2013

Antonio Madeira: Vinhas Velhas do Dão

Este vinho tem inúmeras curiosidades, tem diversos pontos de interesse e só por isso e por mais alguma coisa, merece (e deve) ser conhecido pela comunidade enófila. É incontornável.


O autor do vinho, António Madeira é também o autor do blog mais interessante, no momento, a viver na realidade blogueira portuguesa: A Palheira do Ti Zé Bicadas. O seu blog relata, no essencial, as suas aventuras pela Serra da Estrela, pelo Dão, na demanda de castas inusitadas, de vinhas esquecidas, de hábitos e métodos que (quase) só existem em memórias (de poucos). 


Ao contrário de outros, como eu, que confortavelmente se sentam em sofás aburguesados e onde largam bitaites sem tento e sem qualquer conhecimento da vida (do vinho), este luso-português não teve qualquer pejo em pegar na mochila, vir à procura das suas raízes lusitana, agarrando em mãos a concretização de um dos seus sonhos: fazer vinho no Dão, fazer vinho na terra dos seus ascendentes. 


O vinho baptizado orgulhosamente com o seu nome, e em que a palavra Dão apresenta-se decalcada com letras garrafais, deriva de vinhas velhas que vagueavam apenas acompanhadas pelo Abandono e onde a Tinta Pinheira, o Camarate e a Tinta Amarela predominam em larga escala. Um vinho pleno de frescura, com aromas e perfumes de um lugar que conheço muito bem. Um vinho que, independentemente de gostos e opções, representa o cumprimento de um objectivo, a vontade de realizar qualquer coisa. É, também, um vinho idealizado por um autodidacta. Eu, deste lado do sofá, aplaudo a dita coragem.

Post Scriptum: O Vinho foi oferecido pelo Produtor.

12 comentários:

Anónimo disse...

Luso-português ou fanco-português ou luso-francês, tanto faz!

Pingus Vinicus disse...

Tanto faz :)

Rui Oliveira disse...

Sigo o blog do Antonio com grande curiosidade e é impressionante a sua paixão pelo vinho, pelas gentes e pelas terras de onde brota este nectar aqui mencionado. Eu também aplaudo e saúdo projectos desta natureza, pequenos, apaixonados e em que o desenrolar do projecto é como um folhear as páginas de um livro em que neste momento o projecto apenas chegou ao fim do primeiro capitulo...venham mais capitulos...parabéns!!!

Anónimo disse...

Eu acompanho esta Aventura desde do inicio, dos primeiros posts. Espero provar e guardar. IL

Antonio Madeira disse...

Antes de mais quero agradecer ao Pingus pelo post e aos leitores pelos comentarios, porque tanto o post como os comentarios que li me confirmam que o caminho seguido faz sentido e me dão coragem para encarar o futuro.
Este projecto é um projecto de vida, encarna a esperança, a luta pelo um ideal.
Conto com vocês para que os proximos capitulos se tornem realidade.
Forte abraço
Antonio Madeira

Anónimo disse...

Boa tarde,
Como natural de Viseu e apreciador dos vinhos do Dão, gostava de saber se poderei encontrar o seu vinho à venda em algum local.
Obrigado.

Pedro Rodrigues

Antonio Madeira disse...

Boa tarde,
Por enquanto, ainda não esta distribuido. Estou a tratar disso. Mas ja esta disponivel em Pinhanços (Seia)na adega da Quinta da Pellada se tiver oportunidade de passar na zona.
Cumprimentos
Antonio Madeira

Anónimo disse...

Obrigado, pela resposta.
Pensa distribuir em todo o território ou só na região?

Pedro Rodrigues

Emilio disse...

Rui, deixo aqui um comentário deste vinho que tú mismo fizeste noutro site: "A paixâo encerrada numa garrafa". Concordo com isso.

Antonio Madeira disse...

Caro Pedro Rodrigues,
Seria impossivel sustentar o projecto distribuindo apenas a nivel regional.

Luís Diogo disse...

Somos um grupo de Enófilos de Arantes já com 21 anos de provas; assim pergunto ao Srº António onde podemos comprar uma caixa para provarmos este néctar?
Cordialmente
Drº Luis Diogo

mail: ldiogo@sapo.pt

Antonio Madeira disse...

Caro Luis Diogo,
Muito obrigado pelo interesse no vinho.
Acabo de lhe enviar um mail relativo a sua pergunta.
Cumprimentos
Antonio Madeira