Curtimenta segundo Anselmo Mendes

Serve o presente para informar vossas excelências que este vinho branco foi, até ao momento, um dos melhores vinhos brancos portugueses que bebi no corrente ano de dois mil e dezasseis. Um vinho que não me deixou indiferente e que prendeu a atenção do primeiro ao último trago. Na verdade, acrescento que foi bebido com enorme sorvidão até ao fim. 


Um vinho que revelou possuir várias camadas de sabores e de cheiros que foram cambiando de forma dinâmica, evitando que o bebedor caísse na monotonia, no enfado. Coisa que às vezes é rara.


Um vinho branco muito refinado, bem complexo, com uma austeridade e carácter muito pouco comuns no reino dos alvarinhos. Houvessem mais vinhos assim, por estas bandas.

Comentários

Flavio Henrique disse…
Adoro este vinho! Destaque em questão de Alvarinhos.

Abraços,

Flavio
Pingus Vinicus disse…
Era da colheita de 2011, Flávio e estava em muito bom nível.
Um grande abraço