Infelizmente não há muito para dizer ...

Não é a primeira vez que me acontece algo semelhante. Quando acontece, não há nada a fazer. É assumir. Pronto.


É provavelmente o melhor encruzado, da era moderna, feito na Quinta da Falorca. Não contam para a equação os mais antigos. São outra estória, como por exemplo o dois mil e dez.


Este dois mil e dezassete está bem porreiro. Muito mesmo. Fresco, com volume e com intensidade. A dar sinais que vai certamente melhorar (ainda mais) no futuro. Tornar-se em algo mais profundo, adulto e sério. Ah! E a garrafita foi esvaziada em três tempos. Era só, por agora.

Comentários

Anónimo disse…
Caro Pingus,

Consideras os mais antigos ainda melhor? Ainda tenho umas garrafas do 2011.

Abraços,

Flavio
Anónimo disse…
Ops... Corrigindo: *Consideras os mais antigos ainda melhores? (ia perguntar especificamente do 2010)
Pingus Vinicus disse…
Olá Flávio. O 2010 estava muito bom. Depois alguns excessos e falta de frescura em algumas colheitas mais recentes. Este 2017 é um belo salto.